Default welcome msg!

Central de Atendimento:11 3034 6214

notícias

  1. Veiculada em18 '18e' abril '18e' 2013
    Fonte: O Estado de São Paulo - Caderno Paladar

    Vinhos alpinos (ou quase)

    "(...)Provei apenas dois vinhos, ambos com preço bem amigável, mas a garrafa do branco esvaziou bem mais rápido. A Jacquère do Domaine de l’Idylle é uma uva enganosa. Parece simples, neutra, discreta, boa acidez, bem suíça. Tem um ponto bem distante de doce na boca, bastante para fazer que combine com chucrute e carne de porco, por exemplo. Predomina um grande frescor da acidez, que faz beber mais e com goles amplos. "

  2. Veiculada em3 de março de 3
    Fonte:

    Estadão de SP Luiz Horta

    (...)O Travers de Marceau, do Domaine Rimbert (RS 58, Delacroix Vinhos, tel 3097-8917), é um velho favorito da coluna. Líquido delicado e floral, produzido pelo radical Jean-Marie Rimbert no sul da França, na denominação Saint-Chinian-Berlou, Languedoc. Rimbert é biodinamista e deixa a natureza se manifestar. Entretanto, sofre com o ataque constante de lebres e coelhos que costumam comer os brotinhos de suas videiras. Forçado a matar, sentiu-se obrigado a fazer uma homenagem aos bichinhos, estampando-os em todos os seus rótulos e rolhas. (...) De fato o vinho é sutil, agradável, saboroso e suculento, sem peso e sem desequilíbrio alcoólica um vinho alegre, que pode ser bebido refrescado num balde de gelo com... um coelho assado.

  3. Veiculada em4 de dezembro de 3
    Fonte: Revista Vinhos

    O Globo Jonathan Nossiter

    De la Croix Vinhos: O único importador brasileiro com vinhos 100% orgânicos e naturais, de artesãos comprometidos e de qualidade surpreendente... com preços muito razoáveis. Estes são a mais profunda expressão de terroir que você en-contrará no Brasil. Do Fleury, da Champagne, ao Rateau, da Bourgogne, Bott- Geyl e Spielmann, da Alsácia, os excitantes e originais vinhos Jura, de Tissot, e os deliciosos produtores do Languedoc, Hortus, Rimbert e Delmas (...) Este é o importador abrindo caminhos no Brasil. E, como mais um sinal de sua ascensão, ele acaba de assinar com uma das maiores estrelas do movimento, o lendário Zind-Humbrecht, da Alsácia.

  4. Veiculada em1 '1e' outubro '1e' 2011
    Fonte: Revista Vinhos

    O Globo Jonathan Nossiter

    Vinhos como o Domaine Tissot Arbois (a R$ 98 na De la Croix) ou um Réméjeanne Côtes du Rhône (a R$ 58 na mesma loja), que contam uma história marcantemente mineral do solo e do clima em que cresceram, trazem as mais frescas notícias do humor da uva no momento da colheita, fazendo com que cada garrafa seja potencialmente tão excitante quanto ler Machado de Assis ou Nelson Rodrigues pela primeira vez.

  5. Veiculada em15 '15e' janeiro '15e' 2011
    Fonte: Revista: diVino

    Negocios com sotaque - Carlos Marcondes

    Apenas biodinâmicos e orgânicos franceses. Essa é a fórmula de sucesso da importadora De la Croix, do Conde Geoffroy de la Croix, que afirma estar convencido de que um vinho de qualidade não pode ser agrotoxicos nem ser produzido de maneiro industrial. " Só trazamos vinhos com alma, que expressam verdadeiramente o terroir. Ao longo dos anos, consolidamos essa imagem transparente e o resultado tem sido um crescimento anual constante de 35%", comemora Geoffroy, que ofecere 30 rótulos e fechou 2010 com 180 mil garrafas.

  6. Veiculada em10 '10e' abril '10e' 2011
    Fonte: Revista GQ Brasil

    Uvas Da Liberdade - Jonathan Nossiter

    "Liderados por França e Itália, produtores estão repensando o jeito de fazer o vinho, trazendo vins naturels e biodinâmicos ao mundo. Recusando os últimos anos (...) a reposta dos seguidores dos vinhos naturais e biodinâmicas começa pela visão do vinhedo, com a convicção de que esse eé um eccossistema que precisa ser estimultado em suas particularidades e na sua totalidade. (...) Agora estamos assistindo a um renascimento dos vinhos puros deterroir."

  7. Veiculada em10 '10e' julho '10e' 2011
    Fonte: Estado de São Paulo - Luiz Horta

    Delacroix agora tem showroom

    "Uma casa de vila é a nova sede da importadora de la Croix, especializada em orgânicos e biodinámicos. Geoffroy de la Croix (...) seleciona pessoalmente os produtores do catálogo, está animado por ter uma sala de degustações, além de vender vinhos diretamente. "

  8. Veiculada em15 '15e' abril '15e' 2011
    Fonte: Revista: divino

    Uma historia de paixão - Claudia Zani

    "Uma história de paixão e de destino. Nascido em berço de vinho, em plena Borgonha, já que sua família materna é proprietária do Domaine Comte Armand (...). Foi com a ideia de oferecer ai público a oportunidade de degustar bons vinhos de terroir que Geoffroy percorreu a França à procura dos rótulos que queria vender (...) "são vinhos que transmitem o que estava na vinha e me sinto muito feliz por poder trazer isso aos brasileiros" (...). Para sua surpresa, o primeiro contêiner evaporou-se em três meses.

  9. Veiculada em12 '12e' novembro '12e' 2011
    Fonte: Estado de São Paulo - Luiz Horta

    Amarelos do Jura - Luiz Horta

    "Aproveitei a passagem pela França para fazer degustações de vinhos que não chegam ao Brasil (...). Os espectaculares vinhos de Stéphane Tissot são trazidos pela Delacroix, mas o preço alto dos jaunes da marca fez com que o importador Geoffroy Delacroix hesitasse em incluí-los em seu portfólio. Ele está ainda pensando se os trará. Espero que sim, pois o vinho foi notável, o melhor dos provados."

  10. Veiculada em1 '1e' janeiro '1e' 2010
    Fonte: Valor Economico - Jorge Lucki

    Herança partilhada com os amantes do vinho

    " Geoffroy de la Croix é proprietário da importadora que carrega seu sobrenome.Nascido na França, o vinho faz parte da sua vida desde infânçia, quando se recorda de participar na colheita em Pommard, na Borgonha, quando tinha cerca de 6 anos (...). Acompanhando o trabalho desenvolvido do Domaine da fámilia, Geoffroy se formou no universo do vinho. (...) Admite que é um ferrenho defensor do conceito terroir e a singularidade que proporciona ao vinho (...). "

  11. Veiculada em10 '10e' maio '10e' 2012
    Fonte: Valor Economico - Jorge Lucki

    No Jura, o vin jaune é estrela, mais há muito mais

    "(...) O que o vin jaune tem de mais original, contudo, é seu processo de elaboração, que contradiz todas as regras da enologia. O que em qualquer outro lugar viraria vinagre, no Jura resulta num vinho único e execpcional. (...) Outra caractéristica da especialidade do Jura é sua grande longevidade. Nemhum produtor apresenta uma gama tão ampla, consistente e com alto padrão qualitativo com Stéphane Tissot, que començou a participar mais ativamente da vinícola familiar (...) converteu tudo dentro dos preceitos biodinâmicos (...). E distribuído no Brasil pela De la Croix. "

  12. Veiculada em13 '13e' março '13e' 2013
    Fonte: O Estado de São Paulo - Caderno Paladar

    Sem medo de ser Château

    "(...)Hoje selecionei 4 garrafas, de quase 20 abertas recentemente. São dois vinhos do Château du Champ des Treilles, que, apesar do nome enorme, é um fundo de quintal, projeto pessoal do diretor do grande Pauillac biodinâmico da família Tesseron, o Château Pontet-Canet. Acho o Pontet-Canet o mais bem-sucedido bordeaux biô no meio dos big names. "

  13. Veiculada em26 '26e' março '26e' 2013
    Fonte: Email de Páscoa 2013

    Páscoa 2013

    Para este dia especial, a de la Croix preparou algumas indicações de nossos vinhos de pequenos produtores, de produção limitada e exclusivos. Buscamos a harmonização perfeita tanto com um vinho branco quanto com um tinto para acompanhar o tradicional bacalhau de Páscoa...

  14. Veiculada em22 '22e' maio '22e' 2013
    Fonte: Jornal Folha de São Paulo - Caderno Comida - Coluna Alexandra Corvo

    O preço da fama

    "(...)Do outro lado da Gironde, às margens dos rios, e também dos grandes nomes, estão Blaye, Bourg, Sainte Foy, Côtes de Francs e a fenomenal, Fronsac, onde Carlos Magno construiu um forte para proteger a população das invasões bárbaras.

    A pouca fama de seus nomes faz com que seus produtores cuidem muito dos produtos para que tenham qualidade (e futuramente, fama), mas com preços atrativos. Não, eles não são baratinhos. Ainda estamos falando de Bordeaux. Mas são ótimos exemplares com preços razoáveis. "